terça-feira, 1 de novembro de 2011

FUTEBOL -do esporte para a ilusão.



Personalogia avisa: o texto pode chutar sua canela, quebrar seu nariz, jogar pimenta nos seus olhos e certamente atacará seu dogmatismo.
Para continuar, deixe a cegueira no guarda-volumes. Obrigado!

O futebol é o esporte mais praticado no mundo e também é um dos que mais rendem lucros financeiros para os países. No Brasil, este considerado o país do futebol, fica claro o amor platônico para com o esporte. Mas até que ponto o ato de torcer vira fanatismo?
O futebol não é um esporte como os outros; além de ser um esporte sem sentido, ele é também o esporte mais capitalista que existe. Seus seguidores entram em uma determinada equipe para torcer, brigar e dar lucro financeiro. Futebol é um assunto muito comum, até quem não joga tem o que falar: uma roda de amigos para tomar uma gelada, o assunto é futebol; o encontro entre amigos gera palavras à cerca do futebol; um simples cumprimento está cheio de futebol – sicrano vai até a padaria para comprar alguns sonhos, encontra o fulano que foi apenas comprar seis pães franceses para o café da tarde. Neste momento, o simples “oi” ou “olá” é substituído, automaticamente, por algo como “Será que tem Libertadores esse ano?”, ou “São Paulo, time de maricas”. O futebol deixou de ser um esporte e começou a fazer parte do vocabulário do brasileiro, do dia-a-dia, da família e dos sonhos.

O futebol é motivo, claro, de brigas as denominadas torcidas organizadas promovem “reuniões” entre elas para uma simples conversa, ou então, para fazer algumas massagens nos amigos. Andar com uma camiseta do seu time pode ser seu fim nas ruas de São Paulo. Tudo deixou de ser o que era.
O ato de torcer por algo que é totalmente inútil mostra a necessidade do Homo Sapiens em seguir alguma coisa, camuflar seus pensamentos, seguir tendências e fazer parte de algum grupo social. Neste ponto, acho importante ressaltar que não estamos aqui trabalhando com o preconceito para com o esporte e nem com os torcedores, que embora façam parte do assunto, são marionetes da sociedade.
A necessidade do ser humano em seguir alguma coisa é clara no futebol: é necessário, na nossa sociedade, acreditar e seguir alguma coisa. Não seria estranho ver Deus em uma partida de futebol, pois pensando da maneira apontada, ambos são farinha do mesmo saco.
A necessidade humana social em seguir tendências também pode ser observada no futebol: é difícil encontrar alguém que não tenha seu time, alguém que não perca algum tempo social em fronte à TV para acompanhar uma partida, e os poucos que são encontrados que não compartilham deste “gosto”, são tachados de “cafonas”, “idiotas’, e no caso do ser masculino, a “honra” é colocada a prova – ato estranho por parte dos torcedores, pois são eles que assistem homens suados, emanando um odor…humano, com vestimentas curtas, correndo atrás de uma bola, um objeto sem vida e sem sentimentos, e quando o objetivo do jogo é conquistado (gol), estes homens se abraçam. Bem estranho. A partir daí, a necessidade em pertencer a algum grupo social fica clara.
O futebol tornou-se uma ferramenta simples e básica que o homem encontrou para fugir da sua realidade. É difícil agüentar a realidade humana social – fugir das garras venenosas da sociedade requer uma habilidade sem tamanho. A sociedade por sua vez, muito malaca presenteou seus membros com o futebol – assim ela não é questionada, atacada e ainda recebe umas verdinhas por fora. O futebol é ilusão, o futebol é um jogo de interesses. O futebol deixou de ser um esporte para se transformar em comprimido, um fármaco, para os sintomas ruins que assolam os membros da sociedade.
Por Henrique Guedes
Grifos Meus: Infelizmente quase que todo mundo se encontra em cegueira psicológica.
Concordo com o Texto acima plenamente. FUTEBOL É UMA VERDADEIRA PERCA DE TEMPO!!! Com todo respeito ao torcedor.
Quero deixar claro que se você segue ou defende algum time você deve ler as linhas abaixo com muita atenção.
Primeiramente quero deixar claro que o Esporte é o Maior Comércio do Mundo, onde nós patrocinamos tudo (você vai entender mais na frente). Já pensou se você construísse sua casa e você tivesse que pagar para entrar nela por tempo limitado? É isso que acontece no futebol hoje. Recentemente assisti uma reportagem em um Tele-jornal na Rede Globo onde eu pude ver a grande necessidade de um hospital público simples em uma capital que infelizmente custaria 7(sete) milhões de reais. Infelizmente o governo disse que não teria esse dinheiro para a construção do mesmo. Será que não tinha mesmo? Eu vou dizer uma coisa que é pura verdade. O dinheiro tem sim!
Nós através dos impostos estamos patrocinando aquele estádio de 300.000,000,000 (trezentos milhões) para a Copa do Mundo,  digamos que o Brasil ganhe a Copa!!! O que nós ganhamos mesmo? Eu respondo: nada!!! Apenas patrocinamos um estádio onde serão vendidos muitos outros ingressos que os clubes irão enricar ainda mais. Ou seja nós pagaremos pela construção do estádio, pagaremos para entrar nele, pagaremos a luz se assistirmos pela televisão e se o Brasil ganhar não diminuirá os impostos que foram acrescentados para a construção do mesmo nem mesmo aumentará o salário mínimo por esse motivo.
Quem ganha nisso tudo, são: As Emissoras de TVs, a FIFA, Técnicos dos Clubes, os jornalistas, os fabricantes de camisetas, os patrocinadores (não sei de quê, porque se pagamos a conta eles não estão patrocinando nada), enfim, todos eles faturam, e nós? O que a ganhamos com isso? Eu respondo de novo: Não ganhamos NADA! Repito não ganhamos NADA! Pelo contrário, perdemos as vezes sono para assistir quem nos traz  prejuízo.
É lamentável ver pessoas que discutem, brigam e até mesmo matam para defender o futebo. Pessoal vamos abrir os nossos olhos. Eu também torço por um time o Palmeiras. Kkk, mas jamais eu discuto com alguém ou perco meu satisfazer ele. Se ele ganhar bem se ele perder problema dele.
As vezes falamos: O Brasil ganhou!! Mas o que? Um título que não nos redeu nada pelo contrário, nos custou caro. por causa disso vamos pagar mais caro, desde o alimento ao vestir, para enricar ainda mais os jogadores que ganham mais de 1.000,000,000 (um milhão) por mês, muito mais que o Presidente da Republica.
Vê se alguém tem coragem de investirem 200.000,000,000 (duzentos milhões em hospitais, em educação ou em combate ao crime? Isso não acontece porque o governo não tem "dinheiro". É isso verdade? A verdade disso tudo é que eles nos tratam como os bobos da corte. Nas reuniões entre eles são feitos vários planos estratégicos para fidelizar os torcedores em seus times. Eles sabem que ninguém desconfiam onde realmente estamos. Todos eles são empresários disfarçados de presidentes, técnicos entre outros.

O Conteúdo que você vai ler abaixo eu extraí do site R7.com


Voce, é claro, já ouviu jornalistas esportivos, comentaristas e locutores dizerem que não torcem para nenhum time de futebol.
Não acredite.
É mentira.
Por um motivo elementar: todos os profissionais de comunicação que chegaram ao futebol só aprenderam a amar este esporte e mergulharam nessas profissões por amarem, desde criança, um time.
E esse amor a gente, quando é do ramo (e claro que todos esses jornalistas e cronistas são do ramo), não esquece nunca, não é mesmo?
Jornalistas esportivos e torcedores são muito parecidos.
Jornalistas esportivos são torcedores que resolveram ser jornalistas.
Torcedores são torcedores que resolveram ser qualquer outra coisa.
O resto é praticamente igual.
Com o tempo, o contato direto com os jogadores e com a rotina do esporte diminuem parte do encanto que a distância alimenta.
Amenizam a paixão.
E tornam os profissionais ligados ao esporte mais frios e equilibrados diante das vitórias e dos revezes da sua equipe do coração.
E de qualquer outro time.
Tudo isso é verdade.
Agora, dizer que nunca teve time, que não tem mais time, que não torce para ninguém, tudo isso é balela.
A intensidade diminui, os impulsos da paixão são controlados, mas aquele lado bonito da paixão por um time jamais deixa de existir.
Em nenhum deles.
Todo o resto é retórica.
Embora eu ache uma bobagem esculpida em suor, como diria o tricolor Nélson Rodrigues (que, por sinal, fez a mais apaixonada crônica da história sobre o rival Flamengo), jornalista esportivo tem todo o direito de não revelar para que time torce.
Mas há no mercado, aos baldes, jornalistas esportivos sublimes que não deixam de ser sublimes por terem assumido o time do coração.
Por um raciocínio próximo ao dos que escondem seu time, mas com uma justificativa efetivamente relevante, o jornalista especializado em política normalmente não revela em quem vota.
Mas há um detalhe fundamental: ele vota.
Leia todas a reportagem, Clique Aqui.
Fonte: R7.com
O Futebol sadio é aquele que você torce pela sua cidade, pelo seu colégio, que as pessoas não enricam com o seu dinheiro. Não precisa explicar tanto sobre esse assunto porque todos nós temos nossas próprias decisões.
Cada um faz o que achar melhor, mas a verdade foi dita.
Eu não sei o que você vai fazer com essa informação, eu só sei que ela é, o que muita gente precisaria saber.
Se você achou que este é um bom conteúdo. Repasse aos seus amigos e às pessoas que são fanáticas por futebol. Quando eu falo mal do futebol eu não estou falando daquele futebol que você joga e sim daquele que a televisão mostra. Em outras palavras eu estou falando mal do comércio e não do esporte. O comércio que muita gente até mata por causa dele. Aquele que trás paixão exagerada, obsessão, fidelidade total não importando o que tenha que gastar, não importa se tem que deixar a mulher só em casa pra assistir com os amigos no bar, aquele que causa até mesmo o vício. Um abraço a todos e até a próxima.

Se preferir baixe este conteúdo em PDF. Clique Aqui.

2 comentários:

Deixe sua opinião, anúncio ou sujestão para melhoria do nosso blog. Abraço!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...